Atelier da BAD/CEDEAO inaugura uma nova era do papel das mulheres na transição energética da África Ocidental | ECREEE

Atelier da BAD/CEDEAO inaugura uma nova era do papel das mulheres na transição energética da África Ocidental

Abidjan -13 Abril de 2018, foram discutidas num workshop regional realizado em Abidjan no dia 13 de abril de 2018 as conclusões do Estudo de Pré-viabilidade sobre Oportunidades de Negócios para Mulheres da CEDEAO numa Cadeia de Valor Energético em Mudança na África Ocidental na sede do Grupo do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) em Abidjan, organizada pelo Centro de Energia Renovável e Eficiência Energética da ECOWAS (ECREEE), em parceria com o Grupo do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e a Nova Parceria para o Projecto de Infra-estrutura de Desenvolvimento de África (NEPAD - IPPF).

A cerimónia oficial de abertura foi presidida pelo Diretor de Energia Renovável e Gestão de Energia, Sr. Konan N'Goran, que proferiu o discurso do Ministro do Petróleo, Energia e Desenvolvimento de Energia Renovável da Costa do Marfim, Thierry Tanoh. O ministro observou que “alguns países ao redor do mundo puderam transformar o setor de energia numa mercadoria de exportação, onde exportaram tecnologia e conhecimento técnico para criar imenso valor e riqueza para si mesmos”.

Thierry Tanoh acrescentou que os países da África Ocidental devem aproveitar a transformação global no setor de energia para criar um nicho de mercado para si próprios num contesto global de transição energética. De acordo com o ministro “As perturbações tecnológicas estão acontecendo rapidamente e se é verdade que a necessidade é a mãe da invenção, então os nossos desafios energéticos devem nos motivar a criar um nicho nesta transformação em curso”. O ministro sublinhou ainda que “não é o ideal num sector onde as mulheres empresárias representam apenas 2% da população”, como acontece actualmente na África Ocidental.

Em seu discurso, o Embaixador da Espanha em Abidjan, Sua Excelência Luis Covarrubias, observou que a iniciativa regional facilitará a participação das mulheres no setor de energia como fornecedoras de soluções e serviços modernos de energia, e as elevará de predominantemente meros usuários. Representando o governo do Canadá, Simon Snoxell elogiou o esforço, notando que se debate os mesmos problemas que Canadá está trabalhando para ultrapassar: a mudança climática, empoderamento das mulheres, entre outros.

O estudo foi igualmente elogiado pelo Director do Departamento de Energia Renovável e Eficiência Energética (PERN) do BAD, Nakulima Osseynou, que se referiu a ele como “inclusivo, pragmático e relevante”. Observou que “ao abordar os desafios de energia e mudanças climáticas no continente, a África precisará de inovação e, se as mulheres estiverem envolvidas na elaboração da solução, a energia produzida será usada de maneira mais impactante”.

O workshop reuniu mais de 60 participantes, dos quais um terço foram Senhoras Chefes Executivos (CEOs) envolvidos em negócios de geração e distribuição de energia, bem como ao fornecimento de serviços de instalação de energia renovável, serviços de manutenção, faturação de energia e serviços, administração de plataformas usando softwares de energia, promoção de gás liquefeito de petróleo para cozinha limpa entre vários outros ramos. No discurso proferido em seu nome, o Diretor Executivo do ECREEE, Sr. Mahama Kappiah, observou que com muitas mulheres empreendedoras administrando seus próprios negócios usando o seus próprios bens ou microcréditos, desbloqueia definitivamente o investimento permitindo-lhes um alto nível de produtividade e desempenho, trazendo grandes perspectivas para o desenvolvimento económico da região, da saúde e da vitalidade de setor energético.

O workshop regional e o estudo fazem parte de um projeto maior que tem por objectivo desenvolver um conjunto de negócios energéticos prontos para o investimento de propriedade das mulheres em toda a região da África Ocidental. O projeto visa produzir quatro estudos de viabilidade de negócios energéticos focados no país que aproveitam ao máximo as tendências globais que moldam o novo sistema energético, através do Estudo de Pré-viabilidade os seguintes negócios foram identificados: negócios de gás liquefeito de petróleo (GLP) em Nigéria; sistemas de geração de eletricidade baseados em energia solar e empresas de distribuição de produtos de iluminação solar no Gana; empresas de geração e distribuição de eletricidade de mini e micro-redes alimentadas por energia limpa no Senegal; aplicações inteligentes para consumidores de energia na Costa do Marfim. Para cada um dos projetos, o estudo de viabilidade avaliará a possibilidade de replicar os projetos nos outros países-piloto.

O projecto é financiado pelo BAD através do Fundo Especial da NEPAD-IPPF, que apoia os países africanos na preparação de projectos de infra-estruturas regionais em energia, transportes, (TIC) e água transfronteiriça. O Sr. Shem Simuyemba, Gerente da Divisão da NEPAD-IPPF, observou que o sucesso do projeto do ECREEE será determinado no final do estudo, pela sua capacidade de angariar novos fundos para empresas pertencentes a mulheres. Acrescentou que o NEPAD-IPPF vai acompanhar de perto o progresso do projeto, já que está tentando replicá-lo em outros setores de infraestrutura e em outras regiões da África.